sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A Torre


Quando cheguei a João Pessoa, ainda no caminho da Rodoviária para a pensão onde estou morando, Thalyta apontou para aquela torre.
"Ali é a torre da Globo daqui."
Olhei para aquela agulha branca cravada na cidade, como um pino para marcar o local em um mapa de papel, pregada exatamente onde eu queria estar.
"Pois é ali que quero trabalhar, Thalyta".
Não desmerecendo nenhum outro grupo, mas eu sei o nível de qualidade exigido para o "Padrão Globo", e sei que ele acaba se estendendo a todas as outras empresas dos grupos onde ela está. Sempre soube que estar ali poderia me ensinar mais do que em qualquer outro lugar sobre as duas áreas que mais gosto do jornalismo: impresso e televisivo.
Passei um mês olhando para aquela torre ao longe. vendo-a como que marcando o lugar para mim. De casa eu a vejo, basta sair no quintal e olhar. Nada me deixaria mais feliz do que trabalhar ali.
Fiz alguns testes na cidade. Nunca havia feito tantos. Nunca fora tratado como jornalista com tanto respeito. Em todas emissoras, grupos, jornais, revistas e sites por onde passei, fui tratado como profissional, como eu sempre quis, como Santos nunca me tratou. Esta cidade sabe receber quem vem de fora, quem vem com sonhos. João Pessoa sabe abraçar quem quer fazer algo novo.
Mas nenhum teste deu certo. E eu tinha medo de ligar para o jornal impresso dali. Imaginei os critérios, os padrões exigidos, imaginei um grupo de jornalistas cheios de cismas e manias que não me deixariam entrar em seu espaço. Imaginei coisas demais.
Mas nenhuma das coisas que imaginei me prepararia para o que me esperava. Aquela agulha realmente marcava o lugar onde eu viria a trabalhar. Ao ligar para o jornal, fui convidado para uma entrevista, que virou teste, que virou convite para um freela de quinze dias, que virou uma efetivação.
Tudo isso passando pelos mais altos critérios de padronização e exigências técnicas como nunca vi.
Hoje estou olhando para aquela agulha branca cravada no solo de João Pessoa. Ela marca o lugar odne trabalho. E de todo o centro da cidade aquela torre é vista. Ela me deu as boas vindas à cidade. Eu já deveria saber que me receberia tão bem...

6 comentários:

  1. que legaaaaaaaaaal!!!! Fico feliz por essa nova etapa na sua vida estar sendo surpreendente! REalmente nao devemos ter medo do novo, do desconhecido, e sim encara-lo da melhor maneira que seja possivel!
    Sonhar sempre, procurando torna-los realidade, sejam estes sonhos pequenos ou grandes...
    Viva a nova vida!!! ;)))

    ResponderExcluir
  2. Olá João! Finalmente meu primeiro comentário em seu blog =) Fico super feliz que tudo esteja dando certo para você ^.^ Aos poucos e a cada dia novas conquistas, uma nova fase sendo construída de maneira consciente e positiva. Toda sorte do mundo para você neste novo momento. Conte sempre comigo!

    Abração \o/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, João! Fico muito feliz por vc ter encontrado o seu caminho, depois de tanto buscar. Que vc encontre sempre as portas abertas para os seus sonhos! Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Tá vendo? Eu sempre te falei. ;)

    ResponderExcluir
  5. Obrigado a todos os amigos que sempre acreditaram que daria certo! Obrigado aos que torceram a favor deste sonho que se tornou realidade. Agora é trabalhar duro e fazer a coisa acontecer! As portas se abriram, gente!

    ResponderExcluir